domingo, 27 de maio de 2012

Processos do novo (passo I)

A mão que lapidou o tempo transformou aquelas antigas areias do deserto, tempestuosas nas saudades, inóspitas e cortantes aos olhos nas mais belas esculturas, forma viva, como se de onde nada parecia transitório, tudo se fez novo.
Uma voz que me remeteu ao meu eu quase esquecido, um novo olhar lançado sobre meu coração desfez as vagas predefinições de quem não ousou ir além da superfície... Constrangedor foi esse aderir, só quem conheceu a espera, pode reconhecer o gosto deste fruto. Imensa alegria, de se ter uma benção especial, um toque de paz que dizia: Vai! Trilhe esse caminho em Plenitude...
Agora? Dar passos é o início, não o bastante... Amar em comum, na dimensão do renunciar a si por vezes parece teoria, mas na carne ganha novo tom...  Aprender a apreender, perder para ganhar, amar mais a cada instante, como a joia de novos prismas que surgem à medida em que ousamos ver todos os lados e dimensões...
Acolho, porque quero amo e desejo amar mais a cada dia, cultivar planos não mais meus, não somente nossos, mas de Deus, da mão que lapidou o tempo. E até esse nunca esteve sob domínio de quão falhas mãos, mas Da mão que lança a semente no tempo oportuno. E colhe em abundância na estação querida.
E nada poderá abalar esse sólido, firmado na rocha da Vida, que transpassa essa vida que meus olhos contemplam e podem chorar ao contemplar. 
Mas é aqui, onde os passos iniciam firmes no agora, plenos no amanhã...


4 comentários:

Shalom disse...

Agora? Dar passos é o início, não o bastante...

'É saber que o caminho não termina enquanto não se chega lá'... partes de um todo, do novo que em broto sorve a alegria dos primeiros raios de sol em renovo. Felicidade de ir adiante, além dos passos dados, sabendo que os raios de sol que aquecem hoje serão os mesmos de amanhã.

Shalom disse...

Agora? Dar passos é o início, não o bastante...

'É saber que o caminho não termina enquanto não se chega lá'... partes de um todo, do novo que em broto sorve a alegria dos primeiros raios de sol em renovo. Felicidade de ir adiante, além dos passos dados, sabendo que os raios de sol que aquecem hoje serão os mesmos de amanhã.

Aline Rosa Gilg disse...

Uma voz que me remeteu ao meu eu quase esquecido, um novo olhar lançado sobre meu coração desfez as vagas predefinições de quem não ousou ir além da superfície...

Eis o exercício diário...constante... de uma cumplicidade que se desvela acerca da intimidade...Doce sabor da descoberta!
Permita-se o felicitar da alma e a plenitude de estar entregue de quem já se permite mergulhar mais profundo...

Aline Rosa Gilg disse...

Uma voz que me remeteu ao meu eu quase esquecido, um novo olhar lançado sobre meu coração desfez as vagas predefinições de quem não ousou ir além da superfície...

Eis o exercício diário...constante... de uma cumplicidade que se desvela acerca da intimidade...Doce sabor da descoberta!
Permita-se o felicitar da alma e a plenitude de estar entregue de quem já se permite mergulhar mais profundo...