domingo, 26 de abril de 2009

A oferta e a oração (de Wilde Fabio)*


Parece que quando você para pra rezar

No meio de uma loucura de trabalho,

Vem tudo a tona.
Na oração o sangue esfria

E ai você precisa enfrentar

O quanto você esta cansado

O quanto o seu corpo dói

O quanto você esta vazio

O quanto as coisas por elas mesmas são vazias e sem sentido

E quantas desilusões foram necessárias

Para você compreender o que vale a pena.
O quanto você precisa de Deus!
Precisa-se de muita coragem e firmeza para rezar assim

Oração assim é sinônimo de não fugir do sofrimento

Mais ao contrario abraca-lo e vive-lo de uma forma muito intensa

Não por se querer sofrer,

Mais porque a oração lhe dá a consciência da oferta que você esta fazendo

Através dela a oferta se torna consciente, conhecida

Tanto em seus frutos

Como em suas mortes e conseqüências.
Assim não se vive o sacrificando em uma relação subjetiva

Mais bem ao contrario, se vive em uma relação bem concreta

Afinal de contas, me formastes um corpo…

Assim a oração se torna o lugar de encontro

Onde se consuma toda a oferta, todo o sacrifício.

Tudo adquiri sentido!
Bendito seja Deus que é amor

Bendito seja Deus que nos escolheuBendito seja Deus cujo serviço não é brincadeira.

Bendito seja Deus ao qual eu confio a minha vida e a minha oração.
Quanta saudade para ser ofertada,

Quanta vontade de estar em casa para fecundar a igreja

Quanta falta da vida ordinária

Quanta violência para lubrificar as engrenagens da comunidade.
E no meio de tudo isso é impossível esquecer a nossa pobreza e fraqueza…

Que todo o tempo bate a nossa porta,

E mesmo com ela, nos entregarmos a Deus

Nos consumirmos de amor.
Pois mesmo Deus tendo operado tanto e sendo tão maravilhoso

Continuo eu, com meu coração duro e pecador,

Insistindo tantas vezes em compensações

Que longe estão do amor de Deus e da sua Santa Vontade,

O meu único e verdadeiro céu!
Oferta onde tantas vezes a exigência do serviço

Exige de nós o sacrifício da oração parada,

Ai tudo se torna oportunidade

E o menor espaço de tempo livre ou gesto de devoção

Se torna oração e leva as lagrimas

Quase êxtase, para quem se vê tão fraco e pobre,

Ofertando Deus por pura misericórdia Dele mesmo.
Sacrifício custoso, comprovado na própria carne seus danos

Acolhido com dor, e unido com confiança a Divina Misericórdia

Que tudo sabe e conhece.
O mais engraçado…

Corpo, cabeça, coração,

Tudo doendo…

A saudade dos meus troando…
Mais uma estranha paz e fecundidade dentro de mim.
Silenciosa,

Simples

E imensamente rica paz!



*(Um grande amigo que me ensina a crescer por dentro, lá onde ninguém contempla, só quando transborda de tanto Amor)...

Um comentário:

Deia disse...

Que alegria esse blog!
Quanta doçura e intensidade em suas palavras!
Todas as postagens exalam o perfume suave de todas as estações que permeiam nossa vida!
E pude, com real olhar, contemplar a quinta estação da qual você fala!

Shalom e Bem, flor!

Deus abençoe você!!!! Muito, muito, muito!!!!